quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Conheça o atleta Paraolimpico André Brasil .

video

André Brasil é considerado um dos maiores atletas da Natação paraolímpica do mundo. Mas para isso, ele treina e compete com pessoas sem deficiência. E agora ele quer seguir os passos de outras feras no esporte paraolímpico e quem sabe tentar participar de uma Olimpíada e não de uma paraolimpíada.

Projeto do CPB ajuda atleta de Brasília

GLOBO ESPORTE DF (DF) • REPORTAGEM • 9/2/2010 • 12:40:00 • GLOBO

video


Beneficiada por um projeto do Comitê paraolímpico Brasileiro, a brasiliense Shirlene Coelho corre contra o tempo. Depois de uma grave lesão ano passado, ela só quer treinar para buscar o sonho do ouro paraolímpico em 2012. Um ano após conquistar a medalha de prata no lançamento de dardo nas paraolimpíadas de Pequim, Shirlene teve de parar por um tempo, pois sofreu uma fratura no pé esquerdo. Com um treinamento de 5 dias por semana ela corre contra o tempo para voltar à boa forma. Esse ano, a atleta vai disputar o campeonato brasileiro, que começa e abril. Shirlene foi beneficiada com o Projeto Ouro do Comitê paraolímpico, e deverá receber um auxílio financeiro, assistência médica, verbas para viagens e melhoria nos equipamentos de treinamento, para poder se preparar para Londres, em 2012.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Natalia Mayara é Vice Campeã !!

O Tenis paraolímpico do Distrito Federal se destaca mais uma vez mundialmente.


Master Cup Juvenil 2010

Natalia Mayara


A brasiliense Natalia Mayara terminou em segundo lugar no Master Cup Juvenil de tênis em cadeiras de rodas organizado pela Federação Internacional de Tênis. O torneio, que aconteceu na cidade de Tarbes, na França, contou com a participação das quatro melhores jogadoras do ranking mundial juvenil de cadeirantes.
Com apenas 15 anos, ela foi a primeira representante nacional nesta competição, uma das mais importantes da categoria. O Brasil nunca teve atleta entre os melhores do Ranking.
A brasileira se classificou para a final ao vencer a norte-americana Mackenzie Soldan, no sábado (30), por 2x1, de virada. A final foi disputada no domingo (31) e foi contra a japonesa Yui Kamuji, que venceu em sets diretos, parciais de 6/1 e 6/1.
O torneio “era para ganhar experiência”, segundo a própria Natalia, mas acabou com um resultado final surpreendente e muito celebrado.
"Apesar do placar joguei muito bem e tive muitas oportunidades de fechar meus games. Estou muito feliz em representar meu país em um evento de tamanha grandeza, espero poder voltar o ano que vem e desta vez levar o título." Comemorou Natalia.
A competidora já havia entrado para a história do esporte no ano passado, quando formou, junto com o também juvenil Pedro Rocha, a primeira equipe juvenil do país no Mundial de Cadeirantes de Nottingham, na Inglaterra. Natalia é uma das apostas nacionais para a disputa dos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.
Tênis paraolímpico em alta
No final de 2009, o tênis para cadeirantes já havia estado em destaque por causa do também brasiliense, Carlos Santos, mais conhecido como “Jordan”. Depois de faturar seis títulos em torneios internacionais em 2009, o número um do Brasil na modalidade, conseguiu aparecer entre os 30 melhores colocados do ranking mundial. Fato inédito para um brasileiro.

Media Guide ComunicaçãoAssessoria de Imprensa do Comitê Paraolímpico BrasileiroDiogo Mourão (diogo@mediaguide.com.br / 21 8301-0149)Manoela Penna (manoela@mediaguide.com.br) / 21 8301-0123)
Em BrasíliaThalita Kalix (Media Guide) - (thalita.kalix@cpb.org.br / 61 3031 3035 / 61 8161 9271)Thiago Ypiranga (CPB) (Thiago.ypiranga@cpb.org.br/ 61 3031 3035/61 8161 9271